Pandemia acelera a transformação digital de empresas em todo o país

Pandemia acelera a transformação digital de empresas em todo o país

Desde março, em que o isolamento social provou o fechamento das portas de milhares de empresas em todo o Brasil, uma série de empresários recorreu a soluções online para manutenção dos negócios. Este processo é percebido de Norte a Sul do país e conta com uma colaboração constante do Sebrae e de algumas secretarias municipais.

Alguns setores, como acontece com empresas que atuam no turismo regional, terão ainda mais dificuldade para superar a crise da Covid-19 e conquistar novas fontes de renda, outros, como são os pequenos mercados e lojas segmentadas, estão encontrando solução por meio de instalação de delivery e uso de grupos de WhatsApp. Mas será que a transformação digital acontecerá para todos?

A resposta para essa questão é muito mais complexa do que um sim ou não, como estamos acostumados.

Você que é empresário e vê seu pequeno ou grande negócio impactado pelas ações de isolamento social deve fazer uma lição de casa, estudando profundamente o público-alvo da sua empresa.

No marketing, esse estudo é chamado de personas, em que são unificadas características comuns de um grupo de clientes potencial para o negócio. Alguns estudos apontam que cada empresa tenha entre 3 e 4 personas, e que estas são responsáveis por mais de 80% do faturamento.

Se esse tema é totalmente desconhecido para você, leia mais aqui sobre personas.

Ao avaliar as características em comum do público que você alcança em seu negócio, é possível então entender os meios digitais de se comunicar com ele. Lembre-se, este estudo é individual e deve servir de fonte de informação para grandes decisões.

Como a transformação digital pode impactar a minha empresa?

Um escritório de contabilidade ou uma mecânica de motocicleta podem se beneficiar da digitalização do processo, mas de formas diferentes. O mesmo acontece em salão de beleza, em clínicas de estética, em bancas de jornais ou ainda em floriculturas regionais. Porém, sem estudar o público, a estratégia pode gerar gasto desnecessário de dinheiro, ou seja, prejuízo.

Já falamos aqui sobre como o marketing digital pode ser eficiente para um escritório contábil, e essa é uma solução que pode funcionar perfeitamente para todos os negócios, seja para atender pessoa física ou jurídica, adolescentes ou adultos, mulheres ou homens. 

Porém, tudo passa pelo ajuste da comunicação ao meio mais usado pelo público-alvo e da linguagem, já que os gatilhos mentais não são os mesmos para cada pessoa.

O que quero dizer com isso?

Vamos supor que você tenha um pequeno mercado na cidade de Ouro Preto e que venda desde itens de higiene até rações para pets.

Em uma ação com falha de direcionamento, você colocará todos os seus clientes em um grupo de WhatsApp e vai divulgar as novas ofertas de cotonetes para todos. É útil? Pode até ser, mas não terá o maior potencial da mídia.

O caminho ideal para alavancar os resultados das ações digitais da sua empresa está em entender como as mídias interagem entre si e o seu público, tornando a digitalização uma importante ferramenta para impulsionar os negócios.

Sem fazer esse exercício, existem grandes chances da transformação digital da sua empresa ser frustrada, não gerar novos negócios e ainda gastar com soluções que não fazem sentido.

Por onde começar a transformação digital?

Você deverá fazer duas ações simultâneas em frentes diferentes para colocar a sua empresa no mundo virtual e falar a linguagem que o seu público quer para gerar novos negócios.

A primeira coisa que deve fazer é a construção de um site. Ele não precisa ser robusto, pode funcionar bem como uma estrutura de blog e evoluir com o tempo. Plataformas como WordPress e Wix podem ser efetivas e econômicas nesta fase inicial, mas no futuro você pode planejar o gasto com evoluções do projeto.

Escolha um domínio simples e dê preferência ao registro nacional, pode parecer coisa boba, mas gera uma credibilidade na mente das pessoas. Não sabe do que eu estou falando? São os sites que terminam em .com.br e que podem ser obtidos na Registro.br.

O segundo passo que deve ser feito em paralelo é uma pesquisa com a sua base de clientes. Tente consolidar a idade média, sexo, gostos, ferramentas que usam para interagir, descubra ainda desejos que eles tem e dificuldades no dia a dia, tudo isso pode ser útil na hora de apresentar novas soluções.

Se você é novo no mundo virtual empresarial, existem soluções como um aplicativo de CRM que podem armazenar todas as informações de comportamento dos clientes e a sua vida e contatos com a sua empresa. Elas são úteis pois permitem saber prazos médios de contratos, valor médio gerado, possíveis vencimentos ou renovações, além de dados de faixa etária e outros que estejam registrados para entender o comportamento e até explorar ações para captar novos que tenham comportamento parecido.

Por exemplo, suponha que o cliente ideal da sua empresa seja um desses:

  • Mulher entre 20 e 30 anos, solteira, que tenha carro e negócio próprio, use LinkedIn e WhatsApp, seja cliente de bancos digitais e faça uma viagem ao exterior anualmente
  • Homem entre 30 e 40 anos, divorciado, que use carro, mas também goste de dirigir motocicleta aos finais de semana, vaidoso, seja cliente de bancos digitais, invista na bolsa de valores;
  • Adolescente recém-saído do ensino fundamental, não tem renda própria, quer obter uma formação técnica, usa muitos aplicativos e tem domínio da tecnologia;
  • Empresas recém-abertas por jovens universitários na área de tecnologia e que têm potencial para movimentar milhões de reais;
  • Mães e pais com crianças entre dois e cinco anos, que moram em uma cidade grande e que precisam de soluções para entreter os filhos nos finais de semana.

Todos estes públicos estão online e até nas redes sociais, mas a comunicação com eles precisa ser planejada para ser eficiente e não poderá ser feita em massa.

Voltando ao exemplo inicial sobre o proprietário do mercado que faz contato com os clientes por WhatsApp, o ideal é que ele separe grupos de consumidores com gostos em comum:

  • Aqueles que compram bebidas alcoólicas com frequência;
  • Aqueles que são donos de pets;
  • Aqueles que têm filhos pequenos;
  • Aqueles que usam produtos lights;
  • Aqueles que são donos de carros.

Você pode ter aí muitas outras ideias de agrupamento, mas eu aqui quero apenas apresentar alguns exemplos que podem ser adotados por esse negócio. Vários clientes estarão em mais de um grupo e isso não é problema, mas dessa forma a sua comunicação será muito mais efetiva.

Ao grupo de pets, por exemplo, você só enviará mensagem quando tiver algum lançamento ou promoção especial direcionada para animais de estimação. Aos donos de carros você pode mandar informações sobre uma parceria de desconto com um lava-jato ou mesmo com ceras e outros itens que estejam em promoção no seu mercado. Já quem tem filho pequeno pode se interessar por brinquedos, fraldas, biscoitos e outros alimentos que eles consomem.

Um aspecto que deve ser destacado pela transformação digital é que você não precisa de quantidade, mas sim de qualidade. O envio de uma mensagem correta é muito mais eficiente, econômico e evita afastar o consumidor, tenha sempre essa preocupação e cobre o mesmo cuidado de quem estiver cuidando do marketing digital da sua empresa.

Cuidados como esse vão fazer com que os clientes esperem por cada interação sua!

Leia também: Cinco dicas para quem deseja abrir uma startup